Tecnologia é aliada na hora de fidelizar clientes

Uma preocupação constante de quem tem uma empresa é de como fazer o cliente se tornar freguês. Fidelização não é gasto, é investimento. O empresário Sérgio Navarro, por exemplo, montou uma barbearia há dois anos. E para deixar o local com a cara do cliente, ele foi acrescentando bar, charutaria, sinuca, pebolim e videogame. Não é à toa que 80% dos clientes que frequentam o lugar, voltam.

“Aqui temos lema, aqui colecionamos amigos, e a ideia central é essa. Quando o cliente entra aqui ele é tratado como amigo e o que é ser amigo? Jogar sinuca etc. A ideia é o cliente se sentir em casa”, diz Sérgio.

Para o consultor de negócios Cláudio Carvajal, Sérgio acertou. “Criar um ambiente que seja adequado aquele público é importante no processo de fidelização”.

Fidelizar é mais barato que conquistar novos clientes

Estudos mostram que manter um cliente antigo fica cinco vezes mais barato do que conquistar um novo. “Além disso a cada 5% de aumento na taxa de fidelização dos clientes você consegue melhorar o lucro da empresa em mais de 25%”, diz Cláudio.

Sérgio já percebeu isso na prática. “Fidelizar é tudo. Eu tenho muito menos clientes novos do que antigos. Se meu cliente antigo não vier estou falido, então eu tenho que ter foco nos meus clientes que são meus clientes. Os novos vêm agregando, mas a taxa de crescimento da barbearia se não tenho o antigo, acabou”.

Tecnologia é aliada

Fidelizar é nunca deixar o cliente sair insatisfeito e, ainda, oferecer comodidade e praticidade. Uma grande aliada nessa tarefa é a tecnologia. Para incrementar ainda mais o salão, Sérgio também investiu R$ 10 mil em um aplicativo desenvolvido pela empresa do Victor Sorroche, que é especializada em criar programa de gestão online para salões de beleza.

“O salão escolhe quantos pontos ele vai ganhar por cada serviço, e ele consegue acompanhar esses pontos no próprio aplicativo. Ele vê quantos pontos ele está de atingir a meta e ganhar um serviço ou desconto dentro do estabelecimento”, explica Sérgio.

O programa também manda mensagens de aniversário e promoções, que é outra forma de fidelizar o cliente. E tem um serviço batizado de “procura-se” para o cliente que está sem ir na barbearia há mais de 4 meses. A empresa manda um email marketing, informando que ele está sendo procurado, e que se ele “se entregar” imediatamente, vai ter 50% de desconto. O aplicativo ainda elabora relatórios como o índice de fidelidade, o que ajuda a saber quantos dos últimos 100 clientes retornaram.

Sérgio não tem do que reclamar. “Nessa última quinzena voltaram 99 pela taxa de retorno. É conversa, bate papo, ver o que ele quer falar pra você. Barbeiro e psicólogo, técnica na tesoura, e bom de papo.” Fonte: Portal G1

O que devo saber na hora de criar uma marca para minha empresa?

Marca é a identificação que o cliente faz de um produto ou serviço.

CONCEITO –
Uma marca deve ser simples, lembrar a finalidade do produto, ser fácil de memorizar e de falar. Não basta o negócio ter um nome, é preciso que tenha um nome com significado, logo a marca tem que estar associada a algo positivo.

Todo empreendedor precisa criar uma marca. A regra básica e inicial para a criação é a identificação de seus clientes. Quando você vai comprar um produto de uma marca famosa, por exemplo, já sabe o que pode esperar: um bom design, poucos problemas e claro, um preço de certa forma acessível para o mercado.

Mesmo que sua empresa seja de pequeno ou médio porte, ela necessita de uma identidade visual forte para ter destaque no mercado. E, de alguma forma, chamar a atenção e conversar com seu público alvo.

A MARCA DESDE O INÍCIO –
Quando surge a ideia de realizar um empreendimento, muitas questões são levantadas: local de funcionamento, fornecedores, clientes, excelência na produção ou vendas; contratação de colaboradores, etc… Mas, a identidade de sua empresa? De que forma seus clientes vão enxergá-la?

Regras para a construção de uma boa marca:
1. Associação
A marca deve estar associada a ideias e qualidades.
2. Símbolo
Ajudar a memorizar e gravar um produto.

LOGOTIPO –
É um símbolo constituído por palavra ou grupo de letras, apresentadas em desenho especial, que marque ou chame a atenção. O logotipo é, geralmente, o nome da empresa escrito de forma incomum, em elementos e cores que transmitam a imagem que ela pretende ter no público.

Lembre-se de que o conceito é o que atrairá e convencerá as pessoas a consumirem seus produtos, por isso, jamais deixe de transmiti-los em toda a sua comunicação visual, desde a logomarca, até o pessoal de vendas. (Fonte: SEBRAE)

Precisando de uma loja virtual? Eu crio tudo para você

  • Que tal vender pela internet?
  • Que tal oferecer aos clientes vários meios de pagamento, como cartão de crédito (à vista ou parcelado) ou débito, transferência bancária, etc.? E receber à vista?
  • Que tal postar produtos, quaisquer que sejam, e vê-los imediatamente publicados em sua loja no Facebook e no site?
  • Que tal vender para todo o Brasil e até mesmo para o exterior, apenas postando produtos e depois só recebendo – e isso em qualquer moeda?
  • Que tal ver todos os seus produtos disponíveis em smartphones, tablets e computadores, ajustando-se à tela e ao formato de cada um deles?
  • Que tal controlar todo o faturamento (ou mesmo postar produtos) via smartphone?
  • Que tal fazer tudo, mas tudo mesmo COMIGO: logomarca, domínio na internet, página no Facebook e loja virtual, tendo tudo pronto em 3 ou 4 dias, sem enrolação e a um preço bem acessível?
  • Que tal convidar toda a sua rede de amigos para conhecer sua loja virtual ou fazer posts anunciando sua loja a milhares de pessoas por apenas R$ 70,00?

Veja como ficaria a sua loja no Facebook para quem acessa via computador (recortei a imagem para caber neste espaço):

Veja como é completo o aplicativo que gerencia a loja no site e no Facebook:

Veja agora como o site é visualizado em smartphones:

Gostou? Então me ligue agora ou passe um Whatsapp: (42) 9.8402.4553. Faço um bom preço e ponho sua loja na web em no máximo 4 dias!

Peça criada para a Esfinge

Lembrando de um comercial antigo que dizia: “Não basta ser pai, tem que participar”, criei este para a Esfinge. Porque mãe, quer  queira quer não, participa de tudo na vida dos seus.
Está aí a homenagem a essas guerreiras.